Marcadores principais

Conto: A arte do destino - parte 6

20.8.13



No dia seguinte da festa dos avós de Amélia, Daniel bateu a porta da casa de Dona Melina e Senhor Vinícius. Ele estava com um buquê de rosas cor-de-rosa na mão. Quem atendeu a porta foi Dona Melina. O rapaz nem precisou falar, logo Dona Melina disse “já vou chamá-la”.

Amélia foi até a porta, e, sorrindo feito boba, segurou as rosas na mão no instante em que ele as entregou para ela. Daniel a convidou para um passeio em um parque da cidade, e então os dois saíram em direção ao parque. Nem repararam na avó sorridente que os observava parada na porta enquanto os dois se afastavam da casa.

Até chegarem ao parque, o silêncio os acompanhou novamente. Só que dessa vez estavam de mãos dadas, sorrindo, o que fez com que o silêncio não se tornasse nem um pouco incômodo. Quando chegaram ao parque, Daniel sugeriu que sentassem em algum lugar, e Amélia gostou da ideia. Enquanto iam em direção a um banco, Daniel reuniu coragem para falar uma série de palavras mais do que importantes.

Ao sentarem-se no banco, Daniel virou-se um pouco de lado, para poder olhar nos olhos de Amélia. Ela virou-se de lado também e os olhos dos dois se encontraram. Daniel segurou as mãos de Amélia e começou a falar.

- Amélia, desde ontem estou tentando procurar as palavras corretas para te dizer tudo aquilo que estou sentindo. Queria montar um discurso perfeito, sabe? Uma forma de conseguir transmitir em palavras o quanto te amo. Até fiquei feliz por você ter ficado ocupada o resto da festa ajudando a Melina depois da nossa dança, porque eu queria pensar bem no que te dizer mais tarde. E eu pensei. Pensei o resto do dia, da noite e hoje de manhã. E eu até consegui montar um discurso legal, mas, lembrar dele enquanto estou olhando pra você é difícil, aliás, tentar raciocinar qualquer coisa quando estou perto de você é algo muito difícil pra mim... A única parte que consigo lembrar agora, é também a parte que eu acho que você já deve saber: meu coração é todo seu.

Ele parou de falar, esperando alguma reação dela.
Só Deus sabe quantas coisas passaram na cabeça de Amélia nesse momento. Pensou em dizer milhares de coisas, como a maneira que se sentia bem na presença dele, a forma que só pensar nele já fazia seu coração bater mais forte, a quantia absurda de borboletas no estômago que sentiu durante a dança... Mas acabou por não dizer nada disso. Não era preciso, estava tudo escrito em seu olhar. Assim como tudo aquilo que Daniel não conseguiu traduzir em palavras estava escrito no olhar dele. Por tanto, as 2 palavras que Amélia disse a seguir já foram mais do que suficientes.

- Te amo...

Em seguida, pode ser visto em um parque de Porto Alegre dois jovens alegres em um beijo apaixonado – o segundo de muitos que ainda viriam ao longo da vida de ambos.

Duas garotinhas fofas que estavam nesse mesmo parque brincando de jogar vôlei deixaram a bola rolar para perto do banco onde Daniel e Amélia estavam sentados. Uma delas foi correndo apanhar a bola, e, quando estava ao lado do banco, olhou para Daniel e Amélia, que ainda estavam distraídos, um perdido no olhar do outro, e fez um breve comentário.

- Vocês formar um casal super fofo, sabiam?

Eles sorriam, agradeceram e a menina voltou para onde estava sua amiga.
E respondendo a pergunta, sim, Daniel e Amélia sabiam perfeitamente.

(...)

- Querida... Como estou feliz por você! – Disse Dona Melina, no momento em que Amélia voltou do passeio com Daniel naquele dia e contou as novidades para a avó. – Olha, sei que sua mãe é cabeça dura, mas Daniel é um bom garoto... Se quiser, eu e seu avô podemos te ajudar a contar as novidades para seus pais.

Claro que Amélia aceitou a ajuda. Ela tinha os pais mais cabeça dura do mundo, qualquer ajuda seria válida. Mas a ajuda de seus avôs foi um presente divino. Mais tarde, todos os cinco, Amélia, Dona Melina, Senhor Vinícius, Liana e Eduardo sentaram e, com calma conversaram sobre o namoro de Amélia.

A princípio, os pais de Amélia estavam receosos com a ideia. Liana até chegou a dizer que seria apenas um namoro de verão, sem futuro. Mas Dona Melina defendeu Amélia, falando que ela merecia viver e que talvez o namoro andasse pra frente, afinal, as vezes a vida nos surpreende.
No fim da conversa, os pais de Amélia acabaram aceitando o namoro da filha. Daniel era um garoto simpático, altamente recomendado por Senhor Vinícius e Dona Melina, que mal poderia ter? Estava tudo resolvido.

Dali para frente, começaram as verdadeiras férias de verão perfeitas de Amélia. Com direito a muitos passeios (e beijos) com Daniel, idas ao museu, e claro, fotografias. Cada lugar novo em que Amélia pisava, ganhava um clique da câmera. Ela não queria esquecer dessas férias de verão maravilhosas nunca, e de fato seria para sempre incapaz de esquecê-las.

Mas, infelizmente, as férias chegaram ao fim. Chegou o dia de voltar para casa, por mais que não considerasse mais São Paulo seu verdadeiro lar.
Há, e o dia da despedida estava tão lindo... Céu azul, sem nenhuma nuvem, clima super agradável. Em dias normais, Amélia estaria pulando de felicidade, mas nesse dia, não. Foi um dos dias mais tristes que ela já havia vivido.

- A gente ainda vai se reencontrar, eu sei. – Disse Daniel, na casa de Dona Melina, na tarde daquele dia, alguns minutos antes de Amélia e seus pais partirem de carro em direção ao aeroporto.
- Também sei disso. – Ela respondeu.

Os dois se abraçaram.

- Vamos encarar essa situação toda como um... até logo? – Perguntou ele, dando um sorriso triste.
- Vamos sim. – Respondeu Amélia, com o mesmo sorriso triste. – Promete que não vai me esquecer?
- Prometo. – Falou Daniel.

E continuaram abraçados.

Amélia nunca gostou de despedidas. Afinal de contas, quem em sã consciência gosta de despedidas? É doloroso saber que ficaremos longe das pessoas que amamos. Por mais que mil promessas sejam feitas, sempre restará uma pontinha de dúvida se a pessoa está realmente te esperando. Mas eles tinham que tentar manter vivo o amor que existia em seus corações. Eles iriam dar o máximo de si para cumprirem esse objetivo.

Depois de se despedirem de Dona Amélia, Senhor Vinícius, Dona Josiane e dos pais de Daniel, que haviam se tornado amigos também dos pais de Amélia, eles partiram. Entraram os três no carro e foram em direção ao aeroporto. Amélia ainda ficou olhando pela janela do carro, e deu um último aceno para Daniel, que acenou de volta.
Ela sentiu duas lágrimas caindo dos olhos. Até agora tinha conseguido segurar o choro.
Daniel também chorou mais tarde, quando estava sozinho em seu quarto.

Mas os dois não precisavam se preocupar com nada. O destino se encarregaria de levá-los para o lugar certo, mais cedo ou mais tarde. Aí vai um segredo: o destino adora colaborar com amores verdadeiros. Esse, definitivamente, não é o final da história.
E então? Parte 6 aprovada?
♦ Beijo grande e até a próxima postagem ♦

23 comentários:

  1. APROVADÍSSIMA, ASHUUHSAUHSA' -qq Gosto desse tipo de conto, que fala de destino ;3 Mas confesso que não acredito nessas coisas, UHASUH'

    Beijinhos,

    Juu-Chan ;3 | Nescau com Nutella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ashuashuashuas' Thanks! >3<
      Fico feliz que goste ^^
      Beijos ♥

      Excluir
    2. Concordo com ela! Eu também não acredito nessas coisas...
      Mas tu sabe que seus contos são perfeitos né Taís? huashuash
      Beijinhoooos...
      Confessions of Lara

      Excluir
    3. Acho que esse tipo de coisa é muito difícil de acontecer mesmo =P
      ASHAUSHAS' MUUUITO OBRIGADA CAROL ^^
      Beijos ♥

      Excluir
  2. "Aí vai um segredo: o destino adora colaborar com amores verdadeiros. Esse, definitivamente, não é o final da história." Fechou a parte 6 com louvor, com essas palavras :') Muito lindo o romance da Amélia e do Daniel, sou toda fã de romances assim, sabe, simples, que não precisam de atitudes extremas, mas sim de um simples olhar apaixonado contendo todas as palavras... <3 Esperando, ansiosa, por tudo o que o destino - você - reserva para eles nas próximas partes... <3
    Beijos...

    ♥ SammySacional.blogspot.com ♥
    ♥ DandoUmaDeEscritora.blogspot.com ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuito obrigada Sâmmy! ^^ Acho que você já sabe que também amo romances assim né? Pode deixar que o destino (vulgo: eu) se encarrega-rá de dar o melhor rumo possível para a vida deles. ♥
      Beijos. ;D

      Excluir
  3. Parte 6 mais que aprovada Taís *u* Que coisa mais fofinha. Pode ser que seja até meio clichê, mas eu sou clichê e muito romântica, e isso foi bem fofo. Que coisa bonita os dois pedindo permissão dos pais u.u Isso mesmo hahaha!
    Beijos.

    Foreverbia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Bia! >3<
      Clichê é vida, haha! Sim, sim, pedindo permissão dos pais como se deve. =P kk'
      Beijos ♥

      Excluir
  4. Acho que tem um pouco de olho nas minhas lagrimas kkk
    Que conto perfeito <333
    Amei, e olha que eu não sou muito fã de romance.
    Bjos!

    - Garota em Chamas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *-----*
      Fico super feliz que esteja gostando, Gioh! ♥ Obrigada. ^^
      Beijos ;)

      Excluir
  5. Ain que fofa a frase final, ficou tão encadora >.<
    Adorei a parte 6, ficou muito boa!

    Att, Line
    Puta Merda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Line! Fico super feliz que tenha gostado >.<

      Excluir
  6. Você escreve muito bem Taís *---*
    Estou adorando esse conto!
    Continua logo!
    Kisses,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Cléo! *-------*
      Continuarei logo sim ^^
      Beijos ♥

      Excluir
  7. você pode fazer um post só cm ilustrações suas para as pessoas usarem? *--*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da ideia! Talvez eu faça quando conseguir selecionar uma quantia legal de fotografias e editá-las. ♥
      *--*

      Excluir
  8. PERFEITA *------* Ameiiiii!

    Sua linda hehe

    ResponderExcluir
  9. Super aprovado, espero que eles se reencontrem o3o

    ResponderExcluir
  10. Lendo a sexta parte do meu conto preferido e escutando a minha musica preferida, nada melhor, né Taís? “Tentar manter vivo o amor que existia em seus corações”, hoje em dia está meio difícil encontrar gente desse modo, então também está difícil manter vivo um amor sem saber se o outro está fazendo o mesmo... E a parte 6 ta mais que aprovada!!!
    Paulla Thayná
    Mostrandoquemsomos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ^^ Sem dúvidas, nada melhor!
      Verdade, hoje em dia é muito difícil encontrar pessoas que realmente queiram fazer isso... Mas não custa sonhar =P
      Muito obrigada! ♥

      Excluir