Marcadores principais

Resenha: A Lista Negra, de Jennifer Brown

5.1.14

Título: A Lista Negra.
Autora: Jennifer Brown.
Editora: Gutenberg.
Número de Páginas: 272.
Sinopse: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas. A lista negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre auto-conhecimento e o perdão.
Livro no: Orelha de Livro - Skoob.


Não contém spoilers. :)

A protagonista do livro, Valerie, era namorada de Nick. Eles eram estudantes do ensino médio e sofriam bullying. Eram diferentes da maioria dos demais estudantes da escola. Se vestiam diferente, agiam diferente. Valerie era conhecida como “Irmã da Morte”, um apelido que ganhou devido as roupas que usava, de uma das tantas garotas idiotas que se sentia feliz em importuná-la. Mas Valerie tinha seus amigos e Nick. Levava uma vida aceitável - sim, aceitável, porque eu mentiria se dissesse que ela era feliz.

Entre todas as coisas que ela poderia ter feito para botar a raiva para fora, escolheu usar um caderno. Criar uma lista, onde passou a escrever os nomes das pessoas e coisas que a incomodavam. Isso fez com que Valerie se sentisse melhor. Nick passou a escrever nesse caderno também. Só que ele tinha mais problemas, mais traumas. O Nick que Valerie amava e o Nick que o mundo inteiro conheceu dia 02 de maio de 2008 eram duas pessoas diferentes.
“E foi assim que começou a famosa Lista Negra: como uma piada. Uma forma de descarregar a frustração. No entanto, ela acabou se transformando em algo que eu nem imaginava.”
♦ Página 85.
02 de maio de 2008: esse foi o dia que mudou a vida de Valerie. Para pior. O dia em que Nick foi para a escola armado, matou e machucou gravemente várias pessoas. Em grande parte, as pessoas que estavam na lista. Nick costumava falar muito sobre morte com Valerie, mas ela nunca pensou que estivesse falando sério. Encarava as conversas como se fossem brincadeiras. Erro dela.

Ao ver Nick atirando em todas aquelas pessoas, Valerie tentou impedi-lo. Fez de tudo para alcançar Nick, o que não foi fácil, devido a quantia de alunos em pânico correndo pela escola, e quando o alcançou, acabou tropeçando e indo parar na frente de Jessica, uma das garotas que mais cometeu bullying contra ela. Nick atirou bem nessa hora, e acabou atingindo Valerie. Quando viu que atingiu a namorada, ele se matou. Mas Valerie continuou viva.

A polícia descobriu a lista, e as pessoas ficaram sabendo de sua existência também. Valerie ainda amava Nick, sentia sua falta, enquanto o mundo o via como um monstro. Enquanto o mundo via a própria Valerie como um monstro. Mas ela só havia escrito os nomes na lista. Não queria que ninguém morresse. Ou será que lá no fundo queria? A ideia de criar a lista foi dela, mas quem atirou foi Nick. Ela era inocente. Ou será que era culpada? São essas algumas das inúmeras dúvidas que rondam a mente de Valerie.

Ela é investigada pela polícia, e por fim, inocentada. Mas as pessoas não haviam a inocentado. Ela não havia se inocentado. Ela não sabia o que pensar. Em alguns momentos, se sentia vítima, e em outros, culpada. Valerie se afastou da escola por algum tempo, mas teve de voltar para terminar o último ano do ensino médio. Enquanto a imprensa tentava fazer parecer que aquela escola era um lugar cheio de esperança, e que os tiros e mortes serviram para aproximar os alunos uns dos outros, todos lá sabiam que era mentira. O que Nick fez causou ódio. Ódio em todos.

Tudo estava diferente quando Valerie voltou. Seus amigos lhe deram as costas, fingiam não conhecê-la. Nick estava morto. Grande parte de seus colegas a enxergavam como uma ameaça. Ela estava se sentindo mais sozinha do que nunca. Nem em casa ela se sentia verdadeiramente bem, tendo que lidar com a desconfiança da mãe, a raiva do pai, a tristeza que sentia por fazer seu irmão se tornar praticamente invisível. Mas precisava seguir com a sua vida. Se recuperar do trauma. E em meio a todas as suas dúvidas, era isso que estava tentando fazer.

A Lista Negra é um livro extremamente triste e muito, muito bom. Assim como outras pessoas que o leram, eu também acho que deveria ser trabalhado em sala de aula. Jennifer Brown está de parabéns por ter escrito um livro tão maravilhoso, com uma história e personagens fictícios, mas ao mesmo tempo, completamente reais. Super recomendo!


Alguns quotes:
- O tempo nunca acaba - sussurrou, sem olhar para mim, mas mirando minha tela. - Como sempre há tempo para a dor, também sempre há tempo para a cura. É claro que há.
♦ Bea, página 179.
“Isso pode parecer estúpido, mas acho que eu estava com vergonha. Sabe, quando você é uma criança pequena e seu pai ou sua mãe grita com você na frente dos seus amigos e você se sente humilhado, como se seus amigos acabassem de testemunhar algo muito particular a seu respeito, o que faz você sair completamente da persona, naquela atitude "tenho tudo sob controle" que tentamos projetar nesse mundo? Era isso que sentia, só que multiplicado por bilhões.”
♦ Página 105.
Aprendi a conter a raiva, a forçá-la para o fundo da minha cabeça, esperando que ela se dissolvesse e desaparecesse. Aprendi a fingir que a raiva já tinha passado.
♦ Página 116.
Classificação:  (5 estrelas).
Espero que tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu ou vai ler A Lista Negra?
Beijos e até mais!

10 comentários:

  1. Apesar de não gostar de livros tristes, vou abrir uma exceção para esse livro.
    A resenha ficou ótima! Conseguiu me convencer a colocar este livro na minha listinha de prioridades! ♥
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abra sim! Ele merece =3
      Muito obrigada, Cléo! ♥ *-----*
      Beijos

      Excluir
  2. Acho que já tinha visto essa capa na livraria, eu gostei da história. Gosto desses romances que misturam tragédias ou dramas

    Joy, Acridoce

    ResponderExcluir
  3. Tenho na minha cabeça que este livro foi lançado já faz um tempo, e agora que as pessoas estão lendo mesmo, pois esses dias vi várias pessoas falando (bem) dele. Ou estou enganada?
    Tenho um pouco de receio, nunca li um livro com esse tema que considero pesado, e quando você falou do final triste já imagino o que acontece. Nunca tinha parado para saber mais sobre esse livro, e agora fiquei muito interessada. O único jeito de saber se gosto ou não, e se o final é tão previsível quanto eu penso é ler o livro. Já está na listinha!

    Beijos.
    ♥ Meu jardim Secreto (ou clique no perfil)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, está certa! Ele foi lançado em 2012, acho. No começo, pouca gente leu, só depois ele começou a ganhar o devido reconhecimento.
      Ha, uma coisa que eu esqueci de dizer na resenha: o final não é clichê. Talvez isso que você imagina que acontece seja o final mesmo, mas é bem difícil (eu acho =P). Eu não considero o fim previsível, de maneira nenhuma.
      Que bom que está na sua listinha! Leia mesmo, eu super recomendo. =)
      Beijos ♥

      Excluir
  4. Pelo visto vai ser sempre assim: você nos apresentará livros e eu terei de comprá-los rapidamente :3 O mais intrigante nesta resenha, foi retratar a dura realidade de muitos estudantes, os quais sofrem bullying. E a capa me deixou apaixonada! < 3

    Um grande beijo,

    Juu-Chan || Nescau com Nutella

    ResponderExcluir
  5. Eu já havia escutado sobre esse livro, mas nunca procurei por uma resenha. Gostei Taís! Mas, acho que não vou colocar agora na minha listinha, quem sabe mais para frente... tem uns que eu estou doidamente doida pra ler na frente haha. Como Nárnia que só está ali na minha estante me olhando.... tipo "Leia-me!!!! Por favor" haha. Como ele é muito grande estou deixando para lê-lo semana que vem, quando eu estiver indo para a praia.

    Beijooos linda, a resenha está ótima como sempre >,<

    ResponderExcluir
  6. Opaa, já entrou na minha Wishlist de Janeiro, hein? Haha Parabéns pelo blog, anjo! Falando em blog, tem post novo no "Gostos de Uma Adolescente", já conferiu? Não? Dá uma passadinha lá e deixa o seu comentário! Beijos <3 http://gostosdeadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Só de ler as suas palavras sobre a trama, Taís, já me senti com os olhos enchendo de lágrimas, porque imagino o quão difícil e triste passar pela situação de Valerie. Perder o namorado de uma forma tão... trágica, mais parecendo um pesadelo, e ainda sendo vista como um monstro e vendo tudo ficar ainda pior do que sempre foi. Todas as resenhas que vejo ressaltam o quanto a autora soube abordar os temas existentes no livro com maestria, e a sua não foge à regra. É realmente um livro que eu pretendo ler, na verdade, quero muito ler, mas preciso, antes disso, me sentir preparada para acompanhar a história de Valerie. Se O Caminho para Casa me deixa num estado de impacto até hoje, imagina esse livro, que centraliza adolescentes, colégio e conflitos como o bullying?
    Beijos...

    ResponderExcluir