Marcadores principais

Reencontrando As Palavras

5.3.14


As palavras, ultimamente, andavam perdidas. Vagando sem rumo em minha mente confusa e barulhenta. Caminhando sem parar, até se perderem, caindo em um abismo. Um escuro abismo. O abismo das ideias mortas, que, uma vez caídas lá, jamais voltam. Apenas se decompõem.

Eu simplesmente não estava conseguindo evitar a chacina. Cheguei a acreditar que todas as palavras, cada uma delas, iriam continuar morrendo, pelo restante da minha existência. Pensei que evitar a decomposição no abismo e resgatá-las era impossível. Achei que jamais seria capaz de escrever novamente.

Procurei por todos os cantos do mundo algum antídoto capaz de curar as palavras, trazê-las de volta. Não o encontrei. Vaguei sem rumo, observando tudo ao meu redor atentamente, em busca de respostas. Respostas que não achei. E desisti. Fechei-me novamente em meu mundinho, agora sem palavras.

E foi em meio à escuridão da minha mente que, em fim, encontrei a solução. Encontrei a cura, a maneira de trazer as palavras perdidas de volta. De não permitir que novas caíssem no abismo. Ha, quantos pensamentos tolos. As palavras não estavam decompostas. Estavam vivas, perdidas, mas vivas. Eu só precisava de dedicação para descobrir isso. E tempo. Não existe melhor remédio do que uma boa dose de tique-taque.

Eu estava atrás da cura, da inspiração. E meu grande erro foi tê-la procurado em ambientes externos, sendo que as respostas estavam dentro de mim. O remédio, a inspiração, a cura. Sempre estiveram dentro de mim. Eu só precisava parar de procurar por fora e, em fim, olhar para dentro. Eu resgatei as palavras. Destruí o abismo. Talvez outro abismo se forme com o passar do tempo, e as palavras novamente se percam. Mas, se houver uma próxima vez, eu saberei o que fazer.

Sendo assim, as palavras jamais se perderão novamente.
Um beijo, Taís K.

10 comentários:

  1. Texto maravilhoso Tais, você esta cada dia melhor, Parabéns
    Beijos ♥
    http://amandayshikawa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que saudades de ti, Taís! E dos teus textos ♥ Gostei bastante!

    Um grande beijo,

    Juu-Chan || Nescau com Nutella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também senti saudades suas, Juu :) Obrigada! ^_^
      Beijos ♥

      Excluir
  3. Nossa, não sei se já falei (acho que sim) mas você escreve muito bem! E é tão verdadeiro, me identifiquei muito. por tantas vezes já senti esse abismo, e o destruí, e outro apareceu... mas a minha preguiça sempre fazia com que eu o destruísse "um pouco depois do esperado" rs.
    Parabéns! | .:Entretanto:.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Juliana! ^_^ Pois é, acho que a maioria das pessoas que costumam escrever já sentiram esse abismo, pelo menos uma vez... Ó, a preguiça, sempre atrapalhando nossos planos :p 'seicomé' kk' Valeu! ♥

      Excluir
  4. Que lindo *u* Taís sempre profunda nos seus textos!
    "Não existe melhor remédio do que uma boa dose de tique-taque." haha <3
    Vim aqui pedir se vc aceita meu humilde blog como afiliado >.<
    Beijos!

    http://enquantoachuvadissolveacidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! *------*
      Eu particularmente adorei essa frase, u__U hehehe!
      Mas é claro que sim! ^_^
      Beijos ♥

      Excluir
  5. Seus textos sempre profundos, né, Taís? Adorei! Tem post novo lá no Blog, já viu? Passa lá e comenta o que achou! Beijos <3 http://gostosdeadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir