Marcadores principais

Resenha: Quem é Você, Alasca?, de John Green

3.4.14

Título: Quem é Você, Alasca?
Autor: John Green.
Editora: WMF Martins Fontes.
Número de Páginas: 229.
Sinopse: Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez".
Livro no: Skoob - Orelha de Livro.





Miles é um garoto viciado em biografias. Ele SÓ lê biografias, e decora as últimas palavras dos autores. E eis que um dia ele se depara com as últimas palavras de François Rebelais, "Saio em busca de um Grande Talvez", e resolve sair em busca do seu grande talvez. E como é que Miles faz isso? Bem, em primeiro lugar, ele decide largar sua vidinha monótona, chata e solitária, indo morar no internato Culver Creek.

Um fato que contribuiu muito para que Miles quisesse estudar em Culver Creek foi seu pai ter estudado lá, e ter lhe contado histórias legais de trotes e outros momentos invejáveis que ele viveu ao lado do seus colegas/amigos.
“Porque não podemos prolongar para sempre esse tipo de coisa. Chega uma hora em que é preciso arrancar o Baind-Aid. Dói, mas pelo menos acaba de uma vez e ficamos aliviados.”
♦ Página 7.
Então, chegando em Culver Creek, nosso queridíssimo protagonista conhece Coronel (apelido para Chip Martin), seu colega de quarto, que lhe dá o irônico apelido de Gordo, porque Miles é magro que nem uma tábua. O Coronel logo fala para Miles sobre a discórdia que há entre alunos bolsistas como ele e os Guerreiros do Dia da Semana (vulgo: riquinhos convencidos). E ele também apresenta Miles a sua amiga Alasca Young.

Ha, Alasca. Quem é você, afinal?


Com certeza, a melhor personagem desse livro. Ela é uma garota complexa demais para explicar aqui, mas, entre outras coisas, 1) ela é a menina mais legal de Culver Creek; 2) tem uma coleção enorme de livros que chama de "a biblioteca da minha vida", porque Alasca pretende ler todos os livros ali presentes algum dia; 3) ela é inteligente, divertida e toda sensual; 4) é muito impulsiva, tem crises de bipolaridade, é a fornecedora de cigarros e bebidas do campus, etc. É meio obvio dizer que Miles se apaixona por ela, né?
“Cruzes! Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentadas falando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia.”
♦ Alasca, página 55.
Mas essa não é uma historinha clichê. Ou seja: não, eles não ficam juntos. Alasca tem um namorado, e o ama. Inclusive, ela arranja uma namorada para Miles. Ele continua apaixonado por ela, mas fazer o que? Ser apenas amigo da Alasca já é uma experiência um tanto incrível, na verdade.
“Estava com medo, é claro. E talvez estivesse com medo de que o medo a paralisasse novamente.”
♦ Página 124.
O livro é dividido em antes e depois. Começa contando tantos dias para um acontecimento x (tipo: cento e dez dias antes), e um pouco depois da metade do livro, a coisa acontece, e então a história passa a ser contada marcando quantos dias se passaram após o acontecimento, até o final.


Não posso falar mais nada  porque não quero soltar spoilers. Só posso dizer o mesmo que disse na resenha de Cidades de Papel: leia esse livro. O mais rápido que puder, porque ele é ótimo. Mostra o impacto que as pessoas tem na vida de outras pessoas, e, assim como os outros livros do John Green, tem metáforas e reflexões muito boas. Além de possuir uma história divertidíssima, e personagens super legais!

Eu amei, amei e amei Quem é Você, Alasca?. Recomendo muitíssimo. E, se você já leu, vai entender a frase que deixo a seguir: também estou tentando descobrir como sairei deste labirinto.


Quotes favoritos:
“Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em como será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.”
♦ Alasca, página 56.
“As pessoas, pensei, queriam segurança. Não suportavam a ideia de que a morte fosse um grande e escuro nada, não suportavam a ideia de que seus entes queridos pudessem deixar de existir e nem mesmo conseguiam imaginar essa não existência. Por fim, concluí que as pessoas acreditavam na vida após a morte porque não suportavam a alternativa.” 
♦ Página 103.
“Chega uma hora em que percebemos que nossos pais não podem salvar a si mesmos nem a nós, que todos os que atravessam as águas do tempo acabam sendo drogados pela ressaca – que, em suma, todos nós vamos.”
♦ Página 124.
“Tantos de nós teríamos de conviver com coisas feitas e deixadas por fazer naquele dia. Coisas que terminaram mal, coisas que pareceram normais na hora, porque não tínhamos como prever o futuro. Se ao menos conseguíssemos enxergar a infinita cadeia de consequências que resulta de nossas pequenas decisões. Mas só percebemos tarde demais, quando perceber é inútil.”
♦ Página 224.
“Somos capazes de sobreviver a essas coisas horríveis, pois somos tão indestrutíveis quanto pensamos ser.”
♦ Página 226.
Classificação:  (5 estrelas).
Um beijo, Taís K.

14 comentários:

  1. Eu quero muito ler esse livro *O*, mas cadê o dinheiro O.o? hahaha! Pela sua resenha ele é PERFEITO <3 <3 <3

    ResponderExcluir
  2. Ain, esse livro está na minha wishlist a tempos! quero muito ler, mesmo depois de ter lido algumas resenhas que me fizeram desanimar um pouco... =/

    Beijos ♡♥
    Meu jardim Secreto
    Facebook | Twitter | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que os livros do John Green são assim mesmo: grandes divisores de opinião, alguns amam, outros detestam. Mas acho que vale a pena ler e ver se você gosta, eu amei ♥ :))
      Beijos!

      Excluir
  3. Dentre os livros do John que mais estou ansiosa para ler, esse dividia o posto com Cidades de Papel. Porém... Não é novidade para ninguém que ele tem a maior liberdade de escrita possível e fugir dos clichês geralmente é uma opção que ele toma, afinal. Quem é Você, Alasca? parece ser bem intenso e impactante, mas, é aquele negócio; sempre que o vejo, parte das resenhas o amam, a outra parte o odeiam, e alguns mínimos não tem uma opinião definitiva. Acho que os livros do Green são ótimos exemplos de divisores de opinião, no fim das contas, afinal. Mas, para todos os efeitos, parece ser uma história ótima e tem chance de eu vir a gostar do livro! Só o fato de fugir do clichê, sobre o Miles não ficar com ela nem nada, que me deixa meio deslocada, porque, bem... ei, eu adoro clichês e em alguns casos, por puro hábito, formo casais em todas as histórias que leio ou assisto - desde os mais meigos aos mais improváveis, haha. Espero poder fazer sua leitura ainda esse ano. =) E ótima resenha, Taís!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre esse livro e Cidades de Papel, eu ainda gosto mais de Cidades de Papel, muito embora Quem é Você Alasca? esteja quase empatado com ele. Verdade, aparentemente o John Green não é nada fã de clichês, afinal. E seus livros são mesmo grandes divisores de opinião, então, só lendo para saber ;)
      Ei, eu também faço isso de formar casais, hehe! Mas acredito que, apesar de não ter clichês, você vai gostar, Sâmmy! É uma história original e, em minha opinião, ótima!
      Muito obrigada! ^^
      Beijos ♥

      Excluir
  4. Omg, que resenha perfeita, Taís! ♥ Meu Deus, antes de lê-la, achava este livro simples, o qual aparentava ser interessante... Ma agora com esta resenha... Quero muito ler! <3

    Um enoooooorme e grande beijo,

    Juu-Chan || Nescau com Nutella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Juu! ♥ Leia sim, recomendo muuuuuuito!
      Beijo enooooorme ^^

      Excluir
  5. O preciso ler esse livro o.o
    Ele parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  6. Eu ameeeei a resenha, Taís! Tenho esse livro e é o primeiro da fila da minha lista de leitura! haha :) Tem post novo lá no Blog, já viu? Passa lá e comenta o que achou! Beijos <3 http://gostosdeadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu AMO esse livro. Sou completamente apaixonada pela Alasca.
    Foi o primeiro livro que li do Green, e acho infinitas vezes melhor que ACEDE. Sabe a cena do ginásio? Quase morri de agonia. O autor foi fantástico ao descrever os sentimentos dos personagens, e senti como se fosse muito próxima a eles.

    Lindo, lindo, lindo!
    http://poesiadestilada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos duas! Também amo esse livro e sou apaixonada pela Alasca. Acho muuuuuito melhor que ACEDE! ♥ Bate aqui O/
      ^^

      Excluir