Marcadores principais

Resenha: Claros Sinais de Loucura, de Karen Harrington

12.8.14

Título: Claros Sinais de Loucura.
Autora: Karen Harrington.
Editora: Intrínseca.
Número de páginas: 254.
Sinopse: Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra.
Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas. Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu.
Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.
Livro no: Skoob - Orelha de Livro.


Um belo dia, o pai de Sarah Nelson saiu para trabalhar. Ela e seu irmão gêmeo Simon tinham 2 anos, e ficaram sozinhos em casa com a mãe. Foi então que ela afogou Simon e tentou matar Sarah. Pois é, a mamãe Jane Nelson havia enlouquecido. E Simon morreu.
A mãe de Sarah foi internada em um hospital psiquiátrico, não sem antes responder a um processo na justiça. O pai de Sarah também teve que responder a um processo, por não ter tentado impedir o ocorrido com seus filhos (lembrando: ele nem sequer estava em casa quando a tragédia aconteceu!).
10 anos depois, lá está a Sarah Nelson de 12 anos, morando com seu pai, agora alcoólatra. Para piorar ainda mais a situação, a história da família Nelson ficou super conhecida. As pessoas apontavam para Sarah e seu pai na rua. Por isso eles mudaram de cidade. Aí os moradores da nova cidade descobriram que eles eram a família daquela mulher doida também. Se mudaram outra vez. E, assim, sucessivamente.
“Nenhum investigador conseguiria lidar com todas as perguntas que borbulham dentro de mim, por mais esperto que fosse.”
- Página 62.
Sarah é uma menina completamente viciada em palavras. Vive escrevendo, o tempo inteiro. Possui um diário real, outro falso. Um fica mais visível, alcançável para quem tiver a curiosidade de ler. O outro, é cuidadosamente escondido. É nele que Sarah escreve a verdade. Coisas como estar procurando sinais de loucura em si mesma, porque, já que a sua mãe é louca, ela acredita que há chances dela ter herdado a loucura também. 

Talvez devido à constante mudança de cidade, Sarah não é uma garota de muitos amigos. Possui apenas uma amiga, Lisa. Passa mais tempo mesmo com seus livros, com suas palavras, e com Planta (uma planta que fica em seu quarto), sua fiel confidente. É para ela que Sarah conta seus segredos. E também para Simon. Sim, ela conversa com seu irmão morto, e acredita que esse é um claro sinal de loucura.
“É isso o que eu sou. Uma cripta de segredos. Eles se agitam dentro do meu peito como pássaros engaiolados que querem fugir, mas têm medo de voar.”
- Página 97.
Sarah está terminando o sexto ano. Quase entrando em férias. E ela definitivamente não quer passar suas férias na casa de seus avôs nesse ano outra vez. Sarah também teme o trabalho da árvore genealógica do sétimo ano, do qual ela não terá a menor chance de fugir. Todos vão descobrir sobre a sua mãe, e isso lhe dá muito, muito medo. Ah, e também existe a aposta que ela fez com Lisa, que é: quem der seu primeiro beijo de língua, ganha!
“Também sou um livro não lido. Estou esperando para saber o que acontecerá comigo.”
- Página 86. 
Em seu último dia de aulas, seu professor de inglês, Sr. Wistler, passa a seguinte tarefa a classe: escreverem, durante as férias, cartas a algum personagem de livo ou filme, a algum cantor, pessoa... Enfim. Sarah decide escrever para o personagem Atticus, do livro O sol é para todos. E eu posso garantir que, enquanto lia Claros sinais de loucura, fiquei com uma grande vontade de ler O sol é para todos, porque o peso que as cartas de Sarah a Atticus tiveram na história foi muito grande.
“Quando você escreve as coisas no papel, é como se a sua mão soubesse mais que a sua mente. Não sei por que, mas é verdade.”
- Página 187.
No geral, Claros sinais de loucura, conta sobre as férias de Sarah. Seu cotidiano. Mostra como a vida dela foi tomando um rumo um tanto quanto inesperado - mas positivo, de qualquer forma. Algumas de suas metas permaneceram irrealizadas. Mas, muitas mudanças surpreendentes ocorreram, principalmente em seus pensamentos.
“Depois que algo muda na sua vida, é melhor esperar por mais mudanças. É como derrubar o primeiro dominó. As outras peças não podem fazer nada, só cair onde estão. Se você tiver sorte, não vai se importar com o jeito como elas caem.”
- Página 246.
Eu amo esse livro. A Sarah é uma personagem muito amável. Me identifiquei com ela em alguns momentos. E os demais personagens também são todos ótimos. Não irei escrever sobre cada um deles aqui, porque esta resenha já está grande demais. Eu recomendo a leitura, porque, apesar de ser uma história simples - ou justamente por isso - é muito agradável e interessante de ser lida, além de conter lições de moral bem legais. Aprendi muito com a Sarah. Muito mesmo.


Ainda mais quotes:
“A diferença entre as nossas mãos é como fogo e gelo. Ela trabalhou duro durante a vida inteira, e as minhas mãos não fizeram nada. Ela viajou muito, e eu só fiquei em casa. Espero que algum dia minhas mãos sejam como as dela. O mais interessante tipo de mapa.”
- Página 151.
“As pessoas em geral são o que decidem ser, não importa de onde vieram.”
- Página 180.
“Descobri que é preciso escolher ter coragem todos os dias, como se escolhe a camisa que vai vestir. Não é automático.”
- Página 235.
“Eu escrevo mais do que falo. Olho para a página em branco. As linhas azul-claras gritam para serem preenchidas.”
- Página 44.
“Quando eu preciso saber se uma coisa é a certa, escrevo todas as minhas opções e circulo a mais difícil. A mais difícil é quase sempre a certa, mas também pode causar problemas.”
- Página 45. 
“Pessoalmente, eu ia preferir que um garoto percebesse qual livro eu estava lendo e me dissesse que também tinha gostado. Isso parece um sinal melhor de carinho do que um beijinho qualquer.”
- Página 49.
“Ela disse que, se eu amar alguém quando mais estiver precisando me sentir amada, bem, aí vai chover tanto amor em mim que eu vou poder mergulhar.”
- Página 59. 
“Quero muito seguir seu conselho sobre enxergar o ponto de vista de outra pessoa, ver as coisas como ela vê e tentar entender. Mas o que quero dizer é: por que os outros nunca tentam ver as coisas do meu jeito? Acho que sei o que você diria: não dá para mudar os outros. Você tem que viver com suas próprias decisões.”
- Página 199.
Leia esse livro. Sério.
Classificação:  +  
Um beijo, Taís K.

12 comentários:

  1. Amei o post, quero muito ler esse livro, agora estou curiosa para saber mais sobre essa história.
    Bjos,

    garota-moda1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A Sarah é louca '-' Hehehe e.e
    Menina, preciso ler este livro! Já anotei, sem mentira. Fiquei muito curiosa, quero ler cada palavra que ela escreveu e contou. Sem faltar uma monossílaba!

    Beijos || peersuadir.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Awn, já tava suspirando por esse livro só dos quotes que você postava no instagram, agora então acho que não tenho mais escolha, tenho que ler ele logo!!!!
    Parece ser muito belo o livro, cada quote perfeito e a história super interessante :3

    Beijos, Carol
    Aquela Princesa

    ResponderExcluir
  4. Depois dessa resenha já entrou na minha lista! Primeiramente porque tenho doze anos e a Sarah também, e pelo fato de ela ser uma pessoa bem mais avançada para a idade delas pelas coisas que ela passou. Parece ser um livro ótimo, e sua resenha só fez eu ficar mais doida pra comprar <3
    photo-and-coffee.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Tu merece palmas, consegui ficar muito curiosa em ler esse livro sem nunca ter ouvido falar dele antes, sério! Vou colocá-lo agora na minha listinha de futuras leituras, haha.
    Beijinhos com amor,
    http://dreamsin-paris.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. -boa tarde- Taís! Nossa, desse jeito eu vou trabalhar só pra comprar livros! E mais um livro entrou para a minha wishlist! O livro parece ser bonitinho, e a personagem aparenta ser muito sincera com as palavras, gosto disso. Conheço gente que não gosta de livro na primeira pessoa, ah... Eu amo! O pai é alcoólatra, a mãe foi internada por matar o irmão dela e por tentar matá-la, nossa, imagino o quanto seria difícil para um investigador sjkdhs Agora eu fiquei ansiosa pra ler <3 "Quem beijar primeiro ganha" skjdhsjdh Eu ri, lembro de ter feito uma aposta dessas na quarta série. Enfim, fiquei muito curiosa pra ler o livro, tu escreve resenhas muito bem! Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Ahaha' vi você falando desse livro no Face. Parece ser muito interessante, leve e ao mesmo tempo, nos leva a refletir. Quantos quotes!
    Nem preciso dizer que tanto o título quanto a capa são lindinhos, né?

    Beijos ♡♥
    Meu jardim Secreto
    Facebook | Twitter | Instagram

    ResponderExcluir
  8. Gente,me deixaste curiosa com esse livro,se esse era o objetivo,parabêns você conseguiu.
    A história da Sarah é muito triste e sofrida pra uma menina tão nova,coitada.Deve ser muito ruim ter pais assim.
    Amei os quotes,fica muito mais...sei lá como dizer.E concordo com um deles,as vezes parece mesmo que sua mão sabe mais que a sua mente quando vamos escrever.
    Beijooos
    Ariih|| diario-de-uma-adolencencia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Nossa, o livro parece bem legal! E essa capa linda? *0*

    www.sendohipster.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Eu gostei da sinopse, apesar de algumas partes do texto não ser bem o estilo de livro que eu leria. Mesmo assim, parece ser uma história interessante, até mesmo porque o assunto da loucura sempre nos chamou a atenção, isso não faz muito sentido mas é a verdade. kkkkk

    Bjs :*
    Hayanne Deise Lins
    *Profissão Adolescente*

    ResponderExcluir
  11. Oiiiiie princesa! Adorei a resenha <3. Me interessei pela história da Sarah. Achei muito triste a parte de a mãe dela ter tentando matá-la :c. Cara, que horror! Nossa se fosse eu iria ser louca '-' heuhe.

    Beijoooooooooos, "lindhâ" :*
    justadreamer.tk

    ResponderExcluir
  12. Pelo visto você gostou muito do livro! Já ouvi falar bem da história e acho que quando ler o livro terei que ler O Sol é para todos em seguida. Através dos seus comentários pude sentir que Sarah é muito divertida, mas que o livro também trás uma reflexão. Vou colocá-lo na minha listinha de desejados. Beijos

    http://recantodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir