Marcadores principais

Micro Relatos de Terror

31.10.14



Sinceramente, eu gostaria que o Halloween tivesse mais destaque aqui no Brasil. É uma data muito legal, e é muito triste pensar que, se eu saísse fantasiada pela rua pedindo "doces ou travessuras?", me achariam uma pessoa doida. 
Para comemorar o dia de hoje, até pensei em assistir a algum filme de terror, mas logo descartei a ideia. Você acreditaria se eu dissesse que nunca assisti a um filme de terror na vida? Pois estou dizendo digitando. É verdade. Sou medrosa demais para esse tipo de coisa.
Enfim, vim aqui para indicar uma página super legal do facebook chamada Micro Relatos de Terror, que é uma comunidade dedicada à contos, relatos e estórias curtas de terror e suspense. Lá existem muitas estorinhas ótimas para serem lidas no dia de hoje.
Confira algumas:
Minha esposa sempre foi contra armas. Dizia que elas nunca traziam nada de bom. Eu poderia ferir algum inocente. Claro que sempre discordei.
Pois bem! Desde que, antes de saírem do ar, os jornais anunciaram essa droga de vírus, eu já pensava que minha velha .44 seria útil.
Agora estamos cercados. Essa doença dos infernos já dominou o país.
Só vejo fome em seus olhares.
Estou preparado. Uma bala na cabeça, foi o que disseram. Tomo a frente de minha esposa, como o herói que sempre me imaginei. Quase sorrio ao ver o medo no rosto dela.
Me atacam instintivamente. Aponto a arma para o mais próximo e disparo. Nada.
A filha da mãe havia tirado as balas, em seu medo infantil.
Meu último pensamento no chão, ao vê-la conseguir correr ilesa pela porta enquanto sou dilacerado, é que a vida é muito injusta.
Espero voltar para achá-la.
Mesmo que minhas filhas tenham chorado muito, eu queimei as bonecas. Elas não entendiam meu medo porque achavam que era eu quem as mudava de lugar no quarto delas todas as noites...
Quando nasci, não existiam tantos equipamentos médicos modernos que possibilitam saber sexo de bebês, etc. Assim, foi uma surpresa para meus pais que, logo após meu irmão, a parteira dissesse que havia mais uma criança ali, esperando para ver a luz.
Talvez por isso eu nunca tenha sido amado pela nossa mãe. Sempre foi meu irmão o preferido, o elogiado, o presenteado. Tudo porque não fui eu a nascer dois minutos antes.
Mesmo sofrendo por isso, também o amava. Éramos gêmeos. E ele, apesar da indiferença total por mim de nossos pais, sempre demostrou o carinho que me foi negado. Por isso eu nunca chorava quando era esquecido ou injustamente castigado. Tinha meu irmão para me abraçar e consolar.
Mas eu iria lutar pelo amor dos meus pais. Custasse o que custar.
Agora minha mãe chora. Com gritos, me xinga de coisas que nunca ouvi antes. Meu pai, deitado sobre o corpo do meu irmão, não tem forças para levantar a cabeça.
Pela primeira vez, uma lágrima escorre em meu rosto. Não obtive nenhum amor. Eu matei a pessoa errada.
Aquela velha cadeira de balanço, em madeira nobre, sempre foi a preferida do meu avô. Talhada à mão, ao balançar emitia um contínuo e característico som, que eu desconfiava que fazia o velho dormir. Ele sempre dizia que queria morrer dormindo naquela cadeira. Mas isso não aconteceu.
Talvez por isso ele tenha voltado. Para descansar naquela maldita cadeira.
Esse som horrível já dura a noite inteira.
E então, o que achou? Espero que tenha gostado, e tenha um feliz Halloween!
Beijos, Taís K.

6 comentários:

  1. Entendo sua revolta. Mas, acho que nunca conseguiremos ter realmente um dia, aqui no Brasil, em que possamos dizer (como "pessoas normais") "doces ou travessuras?" :/
    Arrepiei com esse conto das bonecas. Curti a página na hora hehe.

    (dossie-literario.blogspot.com) Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho, Ju, infelizmente! =/
      Que bom que gostou!
      Beijos ♥

      Excluir
  2. Sério, achei o das bonecas muito sinistro! Gosto de contos deste tipo, curtos, concisos, e com uma mensagem no fim. Passei minha noite toda de halloween lendo contos de terror, e esses completaram minha lista. Sou medrosa para ver filmes, mas não pra ler qualquer tipo de conto ou livro de terror, rsrs'.

    Beijos, INconvencional!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou medrosa pra tudo, que tristeza! -.- Que bom que gostou!
      Beijos ♥

      Excluir
  3. Para mim, é o seguinte: os Estados unidos tem o Halloween, e nós temos o Carnaval. Por mais que eu não goste do Carnaval, será difícil o Halloween ser considerado um dia das crianças se fantasiarem e saírem pedindo doces. Enquanto isso as pessoas fazem festas e assistem filmes. Eu não faço nem um nem outro ç_ç Já assisti um filme de terror (e nem foi completo), que foi Invocação do Mal. A curiosidade tava grande, por isso eu assisti :> E me arrependi :< Eu consegui dormir normal, mas meu irmão - ele tem 22 anos - não conseguiu. Pois é...
    Interessante esses relatos. Por ser do Facebook eu não acreditei muito, afinal Facebook é Facebook, mesmo assim são interessantes. Esse das bonecas foi bem de arrepiar ♥
    photo-and-coffee.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Taís, obrigado pela divulgação! Que bom que gostou dos contos!
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir