Marcadores principais

Somos Quem Podemos Ser #10

30.12.14


Sim, a web novela Somos Quem Podemos Ser está de volta! Clique aqui para acessar uma lista contendo os capítulos anteriores.
Fazem cerca de dois meses que não atualizo a web novela, desculpem-me por isso. Não irei demorar para postar os próximos capítulos, eu prometo! Daqui para frente, postarei um novo capítulo por semana.
A propósito, eu pretendia voltar a postar a web novela apenas após o fim do Poem A Day, mas o tema de hoje se encaixou com o capítulo que eu escrevi, então...

Poem A Day 30 - Tema: O Paraíso
Somos Quem Podemos Ser - Capítulo 10:
Paraíso em plena Terra

- Mãe, pai? Cheguei! Que surpresa ver vocês em casa! - Disse Melina, assim que chegou em casa após voltar (caminhando, porque a carona do pai de Lúcia era só de ida) da escola.
Amélia estava em frente ao fogão preparando o almoço, enquanto Daniel estava sentado á mesa com um jornal em mãos. Os dois tem um estúdio fotográfico e, a princípio, iriam fotografar o book de uma garota (chamada Renata, se Melina bem lembrava) naquela manhã, por isso, Melina esperava não encontrar ninguém em casa. Tomou um susto, inclusive, ao ver a casa inteiramente aberta.
- O book foi cancelado, a Renata acordou com muita gripe e a mãe dela nos ligou cancelando. - Disse Amélia - Mas, e então, Lina, que tal o primeiro dia de aula?
- Foi ótimo! - Melina respondeu animadamente.
- Aconteceu algo em especial? - A mãe perguntou.
Melina automaticamente pensou em Roberto. Se bem que a palavra especial não era exatamente a adequada para descrever a experiência de conhecê-lo...
- Não, mãe. Só foi bem legal. Tenho ótimos professores, ótimos colegas. Tudo ótimo.
- Que bom que sua manhã foi ótima, filha. - Disse Daniel, enquanto largava o jornal em cima da mesa e levantava-se da cadeira. - Vou lá buscar seu bisavô para almoçar conosco. Ele também pensou que não estaríamos em casa hoje.
Senhor Vinícius almoçar com Melina e seus pais é rotina. É assim todos os dias, contato que os pais de Melina não estejam ocupados com seu trabalho no ramo da fotografia. Melina vai à casa do bisavô almoçar com ele quando seus pais estão fotografando por aí. Senhor Vinícius e Melina costumam comer pizza de micro-ondas nessas ocasiões - um dos pratos favoritos de Melina.

***

Melina pôs a mesa do almoço, e logo seu pai retornou, trazendo consigo Senhor Vinícius.
- Olá, vô! - Amélia saudou.
- Oi, biso! - Disse Melina.
- Oi, meninas! Que cheiro delicioso é esse, Amélia? - Perguntou Senhor Vinícius.
- É galinhada, vô.
- Huuum... Muito melhor do que pizza de micro-ondas! - Falou sorrindo.
Apesar de Melina preferir comidas industrializadas, seu bisavô, sem dúvida nenhuma, prefere ter uma alimentação mais saudável, ingerindo o que ele chama de "comida de verdade". Sentaram-se a mesa e serviram-se.
- Pensei que vocês não estariam em casa hoje. Vocês me disseram que estariam fora, certo? - Falou Senhor Vinícius.
- Sim, nós não iríamos estar em casa hoje. A princípio, iríamos fotografar o book de uma debutante hoje. Mas a menina cancelou.
- Por quê? - Ele perguntou.
- Ela acordou com uma gripe forte, segundo sua mãe. - Disse Daniel,
- Ah... Lina, como foi seu primeiro dia de aulas? - Senhor Vinícius perguntou.
- Foi ótimo, biso!
- Algum acontecimento em especial?
- Não. Mas foi bem legal!
O restante do almoço seguiu normalmente, com algumas trocas de frases, nada muito relevante.

***

Após o almoço, Daniel acompanhou Senhor Vinícius até a sua casa, pois ele comentou, ainda durante o almoço, que a pia de sua cozinha estava com um vazamento. Daniel decidiu dar uma olhada no problema. Melina ficou em casa, ajudando sua mãe a lavar a louça, enquanto pensava sobre os acontecimentos da manhã. "Que tipo de garoto Roberto é, afinal? Frio como pareceu à primeira vista, ou legal como eu tive a impressão na conversa que tivemos? Ele pareceu ser alguém normal durante aquela conversa... Mas e todas as coisas que ele disse sobre laços e pessoas antes?"
A cabeça de Melina estava a mil por hora, e Amélia não pôde deixar de notar.
- Lina?
- Ah, oi? - Melina saiu de seus devaneios.
- Lina, está tudo bem? Você parece bem pensativa, filha. Aconteceu alguma coisa?
- Na verdade sim, mãe. Conheci um garoto na minha nova turma e... - Melina interrompeu-se ao ver o sorriso insinuante da mãe. - Ei, não é nada disso, mãe! Deixa eu te contar...
Então ela contou a mãe sobre a divisão de grupos, os pensamentos de Roberto sobre se envolver com pessoas, a brincadeira do "sou o amor em seu coração", a conversa que ela teve com Roberto... Tudo. Em detalhes. Após Lina terminar de falar, sua mãe pensou sobre toda história e lhe falou:
- Olha, Melina. O ponto de vista desse menino me parece completamente errado. As pessoas que amamos, e que nos amam de volta, são o nosso paraíso em plena Terra. Quando elas partirem, os momentos bons que passamos com elas realmente não irão preencher o buraco que será deixado em nossos corações. Mas novas pessoas serão capazes de fazer isso, desde que nós as deixemos entrar em nossas vidas. Acho que esse menino precisa de ajuda, filha. Ou ele é um completo idiota insensível ou precisa de ajuda.
Talvez Melina esteja sendo precipitada, pois mal o conhece. Mas sua intuição lhe diz que ele é uma pessoa boa. Melina resolveu confiar na intuição. "Roberto pode contar comigo.", ela pensou.

Espero que tenha gostado! ♥

Beijos, Taís K.

Nenhum comentário:

Postar um comentário