Marcadores principais

Eu e Eles

25.3.15


Eu nunca levei jeito pra atuação. Digo, eu sou capaz de encenar um personagem de uma peça de teatro sem problema algum, mas eu não levo o menor jeito pra atuação na vida. Eu não sei fingir. Fingir que gosto de alguém, fingir que me importo, fingir que não me importo, fingir que estou feliz quando não estou, fingir que achei aquela piada engraçada, fingir que gostei daquela música... Eu sempre fui e sempre serei transparente, cristalina.
Eu sei que tem muita gente por aí que tem o costume de guardar tudo dentro de si, e, honestamente: ás vezes, eu gostaria de também ter essa habilidade. Tem dias em que eu não quero espalhar pro mundo inteiro o que estou sentindo, mas eu sei que, mesmo que eu não diga uma só palavra, está tudo em meus olhos.
Eu sou honesta. Se eu te chamo de amigo, é isso que você é para mim. Eu não invento desculpas. Também não entendo como alguém pode falar mal o dia inteiro de alguém e depois abraçar essa pessoa e chamar de amigo. Não faço esse tipo de coisa. Sou de poucos amigos, mas reais. Sou viciada na palavra verdade. Mentira realmente não é pra mim.
Eu acho muito legal ter esse tipo de personalidade nos dias em que eu estou feliz. Sério. Eu fico eufórica demais, até consigo contagiar um ou dois! Aliás, sou muito empática. Eu consigo entender muito facilmente o que as outras pessoas estão sentindo. Só não consigo entender direito aqueles que não sentem nada. Ou melhor, aqueles que nada demonstram sentir. Porque eu acredito que todo mundo é capaz de sentir, que todos eles sentem, se emocionam, se encantam, se entristecem, amam. Que, por mais que eles sejam inexpressivos por fora, devem sentir algo lá dentro, e vivem bem assim.
Mas isso são eles.

Beijos, Taís K.

5 comentários:

  1. Como sempre, arrasou no texto, e olha, eu também não mando bem para atuar na vida real, mentiras, amores de mentira e entre outros, não consigo! Não tem como realmente...
    Beijinhos,Mundo Da Laís

    ResponderExcluir
  2. Tá para nascer alguém mais complicada do que eu! Não é que eu finja, eu só não sei como agir e falar com algumas pessoas e acabo fazendo coisas que não deveria... E isso é, de fato, uma maneira de demonstrar minha insegurança permanente. Agora, quem entende isso? Ninguém, preferem logo o adjetivo "falsa". O problema é que eu sinto demais, eu penso demais, eu gosto demais. Eu me perco nos limites.

    Adorei o texto.

    blogcontosdebranca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu só o tipo que sente calada,não gosto muito de chora nas frentes das pessoas e nem demostra que estou triste,mesmo estando eu prefiro sorrir não sei e algo automático eu consigo rir das piores piadas mesmo não querendo.
    kiss
    http://apenasliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Uoooooooooooooooou! lol
    Sei realmente o que é isso, amei o texto, tipo muito muito... quando lia parecia que quem na verdade o escreveu, foi eu mesma haha tudo o que eu também escreveria, no caso. Odeio mentiras, e muitas vezes creio não ter muitos amigos por ser transparente demais, a pessoa conversa comigo em um minuto e de repente já sabe minha vida inteira. Mas sabe, eu não me arrependo, gosto de ser assim. :)

    canseideserquase.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Lindo texto, Taís <3
    Não consigo ser falsa também. Quando não gosto de algo ou de alguém eu não gosto mesmo, não abraço, nem dou bom dia. Mas quanto aos meus sentimentos eu sempre escondi muito bem. Não transpareço. Só pra quem realmente confio eu sou transparente. Acho que é medo. Coisa que aprendi na vida...
    Beijo.

    ResponderExcluir