Marcadores principais

Pequenas Metamorfases

15.3.15


Eu saí andando por uma rua desconhecida e encontrei uma borboleta morta na estrada. Completamente intacta, com as asas inteirinhas e tudo mais. Morreu de velhice, tenho certeza. Velhice. É estranho usar essa palavra para atribuir a morte de uma borboleta. Porque, ao pensar em velhice, me vem em mente pele enrugada e pessoas visivelmente com uma idade avançada, tal qual aquela senhora que, simpaticamente, me indicou para que lado ficava o local que eu procurava ontem.
Borboletas tem um período curto de vida e todo mundo sabe disso. Elas vivem pouco porque, assim como os cães, borboletas são criaturas completas. Cães já nascem sabendo aquilo que realmente importa na vida - amor e lealdade -, e borboletas podem voar para aonde bem entenderem, a própria representação da liberdade e beleza - e do não medo de mudanças, não podemos esquecer. Por que não nos inspiramos mais em cães e borboletas?
Deveríamos prestar mais atenção na natureza. Sair caminhando por aí, observar as formigas andando, os pássaros voando, os detalhes das flores, sentir a brisa no rosto e respirar fundo, absorvendo a essência do mundo! É tão inspirador! Eu garanto, pois foi vendo uma simples borboleta morta em uma rua na qual nem me recordo qual é, que eu tive a ideia de escrever tudo isso.
Caminhar por aí e prestar atenção no mundo é uma excelente forma de adquirir mais felicidade. Esse sentimento é extremamente necessário para nós, que não somos borboletas, mas também passamos por nossas pequenas metamorfases.

Beijos, Taís K.

5 comentários:

  1. Ah, essas metamorfoses, tu já vistes um vídeo de borboleta saindo do casulo? É lindo. Eu compreendo o que quer dizer, viver o momento, é como o carpe diem. Eu aprecio muito borboletas, escrevi um livro inspirado em uma rs acho muito digno esse breve momento de vida que elas tem, mas acredito que para elas essas hrs sejam como os anos são para nós.

    Enfim, foi um lindo pensamento :DD
    xoxo

    ResponderExcluir
  2. Porque afinal, a felicidade está nas coisas mais simples e puras. Lindo seu texto, Taís!
    Atualmente tenho tentado sempre encontrar o lado bom das coisas. Para tudo existe seus prós e contras, qualidades e defeitos. Então por que não pensar mais em prós e qualidades? Por que não tentar ser feliz? Por que ficar sempre mal e triste? Isso não vai te levar pra frente, e sim, só deixar você empacado no monótono presente. Então a dica é viver para ser feliz. Sempre ver o lado bom e arriscar sem medo. Porque me diga a verdade, sabe quando você arrisca e aquilo dá certo? A sensação de dever cumprido e felicidade depois é a MELHOR sensação do mundo, não? <3

    Um beijo.
    psicot-i.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Belo textos estamos sempre passando por uma metamorfose as borboletas tem um a historia linda de superação quando são pobres lagartas feias e depois passar ser borboletas lindas com suas assas acho que o humano também e assim, só que não percebemos o nosso ciclo quando não esta totalmente completo,ainda temos muito o que aprender com a natureza.
    apenasliz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Adorei o seu texto e maneira de como você observou esse pequeno instante e conseguiu compreender bastante coisas. É bem interessante prestarmos atenção em detalhes que passam despercebidos por muitos e podê-lo imaginar uma certa história ou lembrar de um fato.. Beijos ♥
    paposdakah.blogspot.com

    ResponderExcluir