Marcadores principais

Céus, a vida é tão frágil...

11.8.15


Eu estava bem até agora a pouco, mas a notícia bateu forte. Assim como uma bofetada na cara. Uma bofetada dada com muito gosto. Preciso escrever pra manter a sanidade, preciso escrever pra me acalmar. Céus, a vida é tão frágil! A gente é tão frágil que parece até feito de papel.
Uma amiga de infância minha morreu hoje. Ela morava em frente a minha casa quando éramos crianças. Andávamos de bicicleta juntas. Brincávamos de pega-pega e esconde-esconde com as outras crianças da rua. Jogávamos uno e corrida ao banco. Certa vez, criamos um blog que se chamava "Eh Nóis" junto com o filho do ex padrasto dela, outro amigo de infância meu. O nosso blog não durou praticamente nada, aliás.
Ela tinha a mesma idade que eu. Quinze anos. Ela se mudou da minha rua há muito tempo. Nós nem nos falávamos mais. Nem por isso o falecimento dela deixou de me afetar. É a primeira vez que alguém que marcou minha vida morre.
Poxa, ela tinha quinze anos, que droga! Mal tinha começado a viver e agora não tá mais aqui. Tudo por conta de um maldito acidente de carro. Ontem mesmo ela postou uma foto no instagram. Hoje sua alma nem tá mais em nosso mundo. Estou em choque, sim. Ela tinha uma vida, como eu. Sonhos, como eu. Planos, como eu. Um futuro, como eu. Futuro este que nunca irá acontecer.
Céus, a vida é tão frágil...

3 comentários:

  1. Infelizmente entendo esse choque, Taís. Infelizmente já passei por essa dor. Infelizmente já procurei a sanidade pelo mesmo motivo.
    Sim, a vida é frágil :(

    ResponderExcluir
  2. A vida é assim, ninguém vai te bater tão forte como ela.
    É difícil aceitar certas coisas que acontecem, ver que pessoas que fizeram parte do nosso passado foram tão cedo, cheias de sonhos, de vida.
    Saber que essa pessoa não pode realizar seus sonhos nos afeta muito, por mais que tentamos ser de aço, isso nos despedaça como vidro.

    ResponderExcluir
  3. É triste ver que sonhos não serão realizados, ver que alguém tão jovem e cheio de vida se foi.
    Uma jovem que tinha muita coisa para descobrir, viver, amar.
    Podia ser eu, ser você, ser qualquer pessoa, isso me faz pensar "Se vivemos ou apenas existimos".

    ResponderExcluir